quarta-feira, 3 de agosto de 2011

QUIBE ASSADO DE PTS (Proteína Texturizada de Soja)




Ingredientes

2 xícaras (chá) de PTS - Fina (proteína texturizada de soja)
1 xícara (chá) de trigo para quibe
5 copos (requeijão) de água fervente
1 ovo
50 ml de molho de soja
4 colheres (sopa) de hortelã picada
1 cebola ralada
sal, azeite e pimenta síria a gosto

Tempere o PTS com molho de soja
Queijo branco para rechear


Modo de Preparo

Misturar a soja e o trigo e hidratá-los com a água fervente. Deixar descansar por 15 minutos e escorrer. Apertar bem com as costas de uma colher para retirar o excesso de água. Juntar o restante dos ingredientes da massa e misturar bem. Espalhar metade do trigo em um refratário untado, dispor o recheio e cobrir com o restante do trigo.
Em toda a superfície, fazer marcas de quadrados com a faca. Regar com o azeite e levar para assar em forno médio pré-aquecido até dourar. Dicas: Experimente com recheio de talos.


terça-feira, 21 de junho de 2011

CALDO VERDE








Ingredientes

• 800 g de batatas
• 200 g de linguiça calabresa
• 3 dentes de alho picados
• 1 maço de couve
• 1 1/2 litro de caldo de carne
• azeite
• sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

1. Retire a pele da lingüiça, pique em quatro e frite. Reserve.
2. Em uma panela ferva as batatas picadas com o alho no caldo de carne. Ferva em fogo baixo até que as batatas estejam macias. Bata esse caldo da batata no liquidificador.
3. Corte a couve bem fininha e acrescente à panela junto com a lingüiça. Ferva por mais 5 minutos, acerte o sal e a pimenta-do-reino.
4. Sirva regando com azeite de oliva ou molho de pimenta.

Dica: Se desejar abafe a couve levemente em pouca manteiga. Outra dica e colocar em porções separadas a lingüiça, a couve, pimenta, queijo e croutons.


quinta-feira, 16 de junho de 2011

TRADIÇÃO JUNINA QUE SE COME O ANO INTEIRO!



O mês de junho é marcado por fogueiras, danças, comidas típicas e muitas bandeirinhas coloridas que enfeitam as festas juninas por todo o país. Como esse mês é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados relacionados às festividades são feitas deste alimento. Pamonha, curau, milho cozido, canjica, cuscuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais. Por esta razão selecionei algumas guloseimas que independente das comemorações desta época do ano, a gente adora degustar em qualquer época do ano.

CANJICA COM COCO

Ingredientes:

1 xícara de canjica
1 xícara de leite de coco
3 xícaras de leite
1 xícara de açúcar
1 canela em pau

Modo de Preparo:


Coloque a canjica de molho em água fria por 8 horas. Escorra e coloque em uma panela com o leite e metade do açúcar. Adicione o pau de canela e leve à fervura em fogo baixo para que os grãos fiquem macios. Teste e se estiver no ponto adicione à panela o açúcar restante e o leite de coco. Ferva novamente para encorpar o líquido. Sirva quente salpicando com canela em pó.


ARROZ DOCE

Ingredientes:

1 xícara de arroz lavado e escorrido
4 xícaras de leite
1 xícara de açúcar
2 colheres de sopa de água de rosas ou flor de laranjeira
1 colher de sopa de canela em pó

Modo de Preparo:


Numa panela, coloque o arroz e o leite. Misture leve ao fogo alto e deixe ferver. Reduza o fogo para brando e cozinhe, mexendo sempre com uma colher para a mistura não grudar no fundo da panela, por cerca de 50 minutos ou até o arroz ficar macio. Acrescente o açúcar e a água de rosas ou flor de laranjeira, misture bem e tire do fogo. Coloque o arroz-doce numa travessa, polvilhe com canela e sirva.


BOLO DE PINHÃO

Ingredientes/ glacê

1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro
1 colher (sopa) de suco de limão

Ingredientes /massa:

1 xícara (chá) de manteiga
1 lata de leite condensado
4 gemas
1 pitada de sal
1 xícara (chá) de pinhão cozido, descascado e moído
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
4 claras em neve

Modo de Preparo:
Massa:


Bata a manteiga até ficar macia. Aos poucos, despeje o leite condensado até obter um creme. Sem parar de bater, junte as gemas, uma a uma, o sal, o pinhão, a farinha, o fermento e, por último, misture delicadamente às claras em neve. Coloque a massa em uma assadeira untada e leve ao forno por 30 minutos, ou até dourar. Retire do forno e deixe esfriar.

Glacê:
Em uma panela, coloque o açúcar, o suco de limão e 2 colheres (sopa) de água quente. Leve ao fogo e mexa até obter uma mistura homogênea. Desenforme o bolo e cubra com o glacê.

Dica da Chef: Se quiser incrementar sua canjica, acrescente amendoim torrado e moído na receita. Se desejar substitua o açúcar da canjica por uma lata de leite condensado. Bom apetite!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Para comemorar o dia dos namorados que tal investir num cardápio afrodisíaco?




Sabores e aromas podem provocar uma infinidade de sensações deliciosas. Cheiros são capazes de marcar momentos e pessoas. Texturas também insinuam infinitas percepções. Na gastronomia, a junção bem feita desses elementos pode ser uma ótima pedida para casais apaixonados degustarem novas sensações e colocar uma pimentinha a mais no relacionamento e conquistar de vez seu parceiro ou parceira.

Como estamos nos aproximando do dia 12 de junho, data em que se comemora o dia dos namorados, que tal experimentar um cardápio diferente e preparado por você! Para uma comemoração especial qual seria a pedida? Que tal então experimentar algo afrodisíaco?

Os pratos afrodisíacos tornaram-se um mito. Na verdade a comida está ligada ao prazer e não é a toa que se relaciona a conquista. Existem diversas comidas que afloram e aguçam os nossos sentidos, assim como o toque especial que pode ser dado ao ambiente. Muitas pessoas são “presas” pela boca. Não há confirmações científicas quanto aos efeitos dos alimentos afrodisíacos, mas quem há de negar que um prato bonito e saboroso não funcione como um excelente estimulante para o amor?
Antes da minha sugestão gastronômica, relacionei algumas curiosidades sobre alimentos e especiarias que trazem a promessa de aumentar o apetite sexual; mas lembre-se que para sua noite ser perfeita é preciso criar um clima romântico. Pense em uma bebida apropriada e não se esqueça dos detalhes como a arrumação da mesa, as velas, as flores (dê preferência para as rosas vermelhas) e uma música envolvente e sensual. Depois de pensar nesses detalhes é hora de ir para cozinha e garantir um jantar inesquecível ao lado de quem você ama. Crenças à parte vale a pena experimentar!

Curiosidades sobre alguns alimentos e bebidas que trazem a promessa de aumentar o apetite sexual

Pimenta: Especiaria que potencializa a circulação sanguínea e eleva a temperatura do corpo. Há mais de 100 variedades de pimenta.

Anis Estrelado: Muito utilizado para aromatizar os pratos, já que possui um aroma forte e levemente doce. Os chineses adoram essa especiaria e, segundo a tradição, desperta o amor dos recém-casados.

Cebola: Seu poder afrodisíaco é conhecido desde a Antigüidade. Citado pelos hindus, em textos sobre sexo, também era utilizado por romanos, gregos e árabes. No Egito, os sacerdotes em celibato eram proibidos de comer cebolas, por causa de seu possível efeito. Já na França, era servida uma sopa de cebola aos recém-casados na manhã seguinte à noite de núpcias para restaurar a libido.

Mel: Conhecido como o néctar de Afrodite, ou seja, um manjar dos deuses. Era muito difundido na Grécia, participando de celebrações de casamento. A noiva grega recebia uma colher de mel, no dia do casamento, pois acreditava-se que assim sairiam apenas palavras doces de sua boca. É daí que vem a lua-de-mel. Além do conteúdo histórico, há no mel vitaminas B e C, bem como minerais do pólen das flores, que podem agir como estimulante da produção de hormônios sexuais.

Champanhe: É a mais apreciada das bebidas para essa ocasião. Sua propriedade afrodisíaca está relacionada com o exotismo que exerce a atração do brinde especial. Acompanhado de morangos é prazer na certa.

Ostras: Considerada a melhor comida afrodisíaca. São comidas cruas com limão e sal. As ostras possuem uma grande quantidade de zinco, que ajuda a fabricar a testosterona. Segundo consta, Casanova, um dos maiores amantes da história, comia grandes quantidades de ostra antes de encontrar suas amantes.

Açafrão: Pode tornar as zonas erógenas mais sensíveis, não se sabe ao certo o porquê. Muito usado por orientais, é o tempero chave em vários pratos eróticos.

Ovos: Para muitos povos, suas propriedades afrodisíacas são bem conhecidas. Vide os famosos ovinhos de codorna e as gemadas tão apreciadas.

Chocolate: É rico em serotonina, um químico que estimula a área no nosso cérebro ligada ao prazer, e em fenilalanina, o aminoácido que atua sobre o despertar e melhora a disposição. Saboreie optando sempre pelo chocolate mais preto que encontrar, isto é, mais rico em elementos afrodisíacos.

Baunilha: Seu poder afrodisíaco deve-se tanto pelo cheiro adocicado como pelo sabor. A palavra baunilha vem do espanhol vainila, um diminutivo de vagina, o que aumenta a crença de sua ligação direta às propriedades amorosas. Importante, procure usar o produto natural, pois a baunilha sintética, embora mais barata, é menos eficaz e pode enjoar. Uma boa dica é acrescentar a essência de baunilha dentro da banheira, num banho a dois, produz um suave efeito de estimulo amoroso.

Curiosidade: o termo "afrodisíaco" é utilizado desde o século I a.C. e deriva do nome Afrodite, deusa do amor na mitologia grega. Ela teria nascido da espuma do mar, depois de Cronos ter castrado seu pai e lançado os genitais na água.


SABORES PARA CURTIR A DOIS

Aperitivo: OVO DE CODORNA PICANTE

Ingredientes:

1 pitada de orégano

1 colher (chá) de vinagre

pimenta calabresa à gosto

1 pimenta dedo de moça picada

6 colheres (sopa) de azeite de oliva

48 ovos de codorna

1 colher (sopa) de salsinha picada

Sal a gosto


Modo de Preparo:


Cozinhe os ovos em água fervente por 10 minutos. Escorra e coloque imediatamente em uma tigela com água e gelo. Deixe esfriar completamente e descasque os ovinhos. Em um pequeno recipiente, coloque o azeite de oliva, vinagre, pimenta calabresa e dedo de moça e o sal. Misture bem e despeje sobre os ovos. Misture e salpique com salsinha e orégano. Leve à geladeira por 1 hora e sirva.


Prato Principal: CAMARÕES AFRODÍSIACOS

Ingredientes para o molho

2 colheres (chá) de gengibre fresco picado

1 pimenta malagueta sem as sementes

¼ de xícara de vinagre de vinho tinto

¼ de xícara de molho de soja

1 xícara (chá) de amendoim sem casca

1 colher (chá) de óleo de gergelim preto

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes do molho no liquidificador e bata até que a mistura vire um creme grosso e homogêneo. Com uma colher teste a consistência verificando se a mistura se desprende facilmente ou se ela custa a cair. Caso esteja densa demais, acrescente mais molho de soja. Reserve.

Ingredientes para o camarão:

20 camarões médios limpos

2 colheres (sopa) de azeite

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:

Esquente uma frigideira grande com o azeite e coloque os camarões salteando até que eles fiquem cozidos ao ponto. Tempere com o sal e a pimenta. Sirva em travessas separadas, de forma que se possam banhar os camarões no molho.

DICA DE CHEF: Sirva este prato acompanhado de uma salada de folhas verdes com lascas de alho desidratado e tomates cereja. Para dar um toque especial, derrame um fio de mel sobre as folhas da alface. Se você preferir espete os camarões nos espetinhos de churrasco para facilitar o serviço na hora da degustação. Para beber não deixe de servir um bom vinho frisante ou um champanhe.


quarta-feira, 11 de maio de 2011

TRUFAS - O DIAMANTE DA COZINHA











Elas não são de chocolate, mas tem sabor único!



Muita gente ouve falar, mas não faz idéia do que seja. Por que ela é tão reverenciada? Como é consumida? De onde vem? Afinal, o que é trufa? A expressão "o diamante da cozinha", do gastrônomo francês Jean Brillat-Savarin, define bem o valor da trufa para a gastronomia.

Ela possui preços altíssimos, além de apresentar aroma e sabor inconfundíveis. Ainda segundo o francês, a trufa tem o poder de deixar as mulheres mais carinhosas e os homens mais amáveis.

O que é trufa?

A trufa é um tubérculo subterrâneo que cresce a cerca de 40 cm da superfície, pertence à família dos fungos, é comestível e possui sabor e aroma característicos. Existem 32 espécies de trufas no mundo, mas apenas sete são comercializadas divididas em dois grupos: brancas e negras.

Elas ficam próximas às raízes de algumas árvores, como o carvalho, aveleira e salgueiro. Como todos os fungos, as trufas produzem uma rede de filamentos que crescem entre as raízes das plantas, possibilitando que as árvores e as trufas compartilhem o "alimento" para o crescimento.

Assim, o fungo acaba fornecendo água e nutrientes para as raízes; já estas disponibilizam aos tubérculos açúcares e outros produtos resultados da fotossíntese, apenas possível para plantas que ficam acima da superfície e recebem a luz solar.

História e a trufa


O consumo de trufas não é recente na história da humanidade. Existem registros e relatos de que em 3,5 mil a.C., em antigas escrituras da Mesopotâmia, consta a palavra tabarli, que significa cogumelo subterrâneo, e a menção que elas seriam alimentos dignos de reis. Já em 1,7 mil a.C., foi encontrada a palavra tigla - cogumelo em armênio, ligada à palavra teckel, o cachorro farejador.

Os romanos também eram grandes apreciadores das trufas, em especial as negras do Egito, pois acreditavam que as trufas favoreciam as atividades amorosas. Nesta época, as brancas não eram muito populares. No ano 1000, o médico árabe Aviceno receitava o consumo de trufas para a cura de diversos males. Durante a Idade Média, o fungo não recebeu muita atenção.

Os historiadores creditam essa impopularidade à questão religiosa, pois seu aspecto negro e rugoso, com certo aroma de gás e enxofre, poderia ser relacionado ao demônio. A apreciação dos reis e nobres franceses pela iguaria reintroduziu o glamour e status do consumo de trufas.

Como as trufas são fungos que crescem dentro da terra, a colheita é chamada de caça. Isso ocorre, pois o olfato do homem não é capaz de detectar o aroma e a presença dos tubérculos, ao contrário dos animais. São eles os grandes responsáveis por achar as iguarias e apontar o local correto. Durante o século XVI, as porcas, animais de olfato muito apurado, eram as responsáveis por encontrar o fungo.

Desde pequenas, as porquinhas eram acostumadas ao cheiro e sabor do fungo, pois o suco de trufa era esfregado nas tetas da mãe. Desta forma, quando mamavam, as porquinhas já sentiam o odor e o sabor da iguaria, o que facilitaria a caça quando já estivessem adultas. Porém, por mais que fossem animais inteligentes e de faro apurado, elas também acabavam por comer as trufas que achavam. Hoje em dia acredita-se que a trufa possua um odor similar ao feromônio dos porcos que atrai a fêmea. Para resolver o problema, muitos caçadores optaram por utilizar cães na busca pelas trufas. Atualmente, são os cachorros que acompanham os donos durante a caçada.

Os tipos de trufa


A temporada de trufas ocorre entre os meses de setembro e março na Itália, Espanha e França, dependendo do tipo. As trufas mais famosas e "importantes" para os gastrônomos são a negra e a branca. Todas possuem o formato irregular de uma massa modelada à mão.

Negra

A trufa negra, ao ser cortada, se parece com um mármore: negro por fora e bege por dentro. Possui perfume intenso, que remete ao húmus, mas sua característica mais marcante é o sabor, uma mistura de nozes, avelãs, terra, castanhas e bosques.

Existe uma trufa negra específica, a Perigord, que aparece na região francesa de mesmo nome. Ela leva esse nome por conta da exclusividade da região onde são colhidas, pela cor de sua carne e porque é a única que pode ser degustada pura.

Para encontrar as trufas negras, vale uma dica: o local onde ele se encontra apresenta uma queimada, ou seja, um espaço sem vegetação perto das árvores. Já a branca não dá indícios de sua localização.

Essa dificuldade é expressa, também, nos valores: a trufa branca chega a ser cinco vezes mais cara que a negra. A safra de trufas negras vai de setembro a novembro, com a exceção da Perigord, que tem seu auge em janeiro.

Branca


Já a trufa branca, chamada de Alba, é encontrada na região de mesmo nome, no Piemonte, norte da Itália. Sua cor vai do amarelo sujo ao bege, lembrando marfim envelhecido. Sua superfície é lisa e a característica mais marcante é o perfume potente: uma mistura de cogumelos, com húmus, alho, parmesão e gás. Já seu sabor é menos pronunciante que o da trufa negra.

O odor é tão potente que é ele que vai até o nariz, e não o contrário: não é preciso cheirar as trufas brancas para saber se são verdadeiras e de qualidade. Sua safra vai de outubro a dezembro e é exclusiva dos italianos. Por conta disso, o governo italiano implementou uma rígida legislação para pautar e administrar a caça.

Produção anual, valores e usos


De acordo com os produtores de trufas de todo o mundo, a produção anual fica em torno de 50 toneladas. Apesar de não parecer, o número é muito baixo levando-se em conta que, no século passado, a produção já chegou a 1,5 mil toneladas e que o consumo atual da iguaria vem aumentando.

Os valores das trufas comprovam sua denominação de diamante da cozinha: a Alba chega a custar R$ 12 mil e a negra R$ 2 mil, por quilo.

As trufas são utilizadas para aromatizar pratos e azeites - salva a Perigord que pode ser consumida pura. As receitas mais comuns onde as trufas são usadas são as massas e os risotos. Mas o predileto dos gastrônomos fica com o all'occhio di bue, que reúne a simplicidade do ovo frito com a exuberância da trufa Alba fresca.












terça-feira, 10 de maio de 2011

MOUSSE DE BANANA






Ingredientes:

8 bananas nanicas maduras
1 lata de creme de leite
1 xícara (chá ) de açúcar
12 g de gelatina e pó incolor e sem sabor
2 colheres (sopa) de margarina
300 g de chocolate branco
½ litro de chantilly batido
¼ de xícara (chá) de água para hidratar e dissolver a gelatina


Decoração:

3 bananas picadas em rodelas
1 xícara (chá) de açúcar
Folhas de hortelã fresca

Modo de preparo:

Em uma panela, coloque as bananas picadas em rodelas e o açúcar. Leve ao fogo e deixe cozinhar até ficarem macias. Espere esfriar. Bata no liquidificador o doce das bananas, junte a gelatina hidratada na água e bata até formar um creme. Em um recipiente, derreta o chocolate com a margarina. Acrescente o creme de leite e misture bem. Junte a mistura do liquidificador. Bata o chantilly e junte aos demais cremes mexendo delicadamente. Para a decoração leve ao fogo o açúcar, quando começar a derreter junte as bananas. Deixe dar uma leve cozida e retire. Decore uma taça com chocolate derretido em seu interior e coloque a mousse. Finalize com as bananas e a hortelã.






SABORES DA VIDA!


Com paixão e dedicação tudo fica bom!!!
Experimente o novo... Crie possibilidades de surpreender...
Busque o conhecimento... e divida isso com alguém...
A cozinha nos proporciona momentos mágicos... felizes!!!
Tente... Experimente...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

VOCÊ SABE O QUE É PIXÉ?







Especialidade da culinária cuiabana, o pixé é uma farofa doce à base de milho torrado e moído, canela e açúcar, vendida em cones de papel ou potinhos de plástico. A farofinha de pixé pode ser usada para enriquecer doces ou mingaus ou simplesmente misturada ao leite e sucos, mas segundo a tradição cuiabana, muitos apreciadores da iguaria preferem comê-la pura. Simplesmente jogam um pouco na palma da mão e lambem. Mas é preciso cuidado, porque a farofa é seca e corre-se o risco de engasgar. Para muitos matogrossenses a iguaria é considerada afrodisíaca.

RECEITA DE PIXÉ

Ingredientes:

2 colheres (sopa) de banha
2 e 1/2 xícaras (chá) de milho seco em grãos (de pipoca)
1/2 xícara (chá) de açúcar
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de canela em pó



Modo de preparo


Em uma panela, esquente um pouco a banha. Torre o milho em fogo médio, mexendo sempre, por 20 minutos ou até ficar dourado. Soque o milho no pilão até ficar bem triturado. Passe -o por uma peneira e misture com o açúcar, o sal e a canela. Coloque pequenas porções em cones de papel e sirva.

Receita: BOLO DE PIXÉ


Ingredientes:

3 ovos
1 ½ xícara (chá) e açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de pixé
½ xícara (chá) de fubá de milho
1 xícara (chá) de óleo
1 xícara (chá) de suco de laranja
1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de preparo:

Bata o açúcar o óleo e os ovos no liquidificador. Numa bacia acrescente a farinha de trigo, o pixé, o fubá, o suco de laranja e o fermento. Leve ao forno médio em forma de bolo, untada e enfarinhada por cerca de 30 minutos. Decore com a paçoca de pixé e uma calda de laranja se gostar.





















segunda-feira, 18 de abril de 2011

ATUM GRATINADO - UMA DELICIOSA SUGESTÃO PARA O ALMOÇO DE PÁSCOA COM A FAMILIA



Estamos em plena semana santa, e a páscoa é um grande evento familiar onde você pode reunir os amigos e parentes para um delicioso encontro. A tradição católica de consumir apenas peixe durante este período ainda é mantida por muita gente. Por esse motivo a sugestão desta semana é em apresentar um saboroso prato que tem um custo barato, é prático, saboroso e foge um pouco da linha de só se comer bacalhau ou peixes frescos. Na receita desta semana você vai aprender a fazer um delicioso atum gratinado que com certeza vai agradar toda família!


ATUM GRATINADO

Ingredientes:

Purê

1 kg de batata cozida e espremida

200 g de creme de leite

2 ovos

50 g de manteiga

200 ml de leite

Sal e noz moscada a gosto


Recheio

50 g de manteiga

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

2 tomates sem pele picados

2 latas de atum ralado

200 g de buquês de brócolis aferventado

Sal, pimenta e orégano a gosto


Cobertura

2 claras batidas em neve

200 ml de creme de leite

200 g de queijo parmesão em lascas


Modo de preparo: Cozinhe as batatas já descascadas e quando estiverem macias escorra e amasse ainda quente. Acrescente os demais ingredientes do purê e misture até ficar homogêneo. Reserve. Leve ao fogo uma panela e refogue na manteiga, a cebola, o alho, os tomates e o atum. Junte a mistura os brócolis e tempere com sal e orégano. Num refratário médio untado coloque o purê, depois o recheio e finalize com a cobertura misturando as claras em neve com o creme de leite e as lascas do queijo por cima. Leve ao forno pré-aquecido na temperatura média de 180º por cerca de 20 minutos, para gratinar. Sirva quente.


Dica de chef: Varie esta mesma receita mudando o recheio. Você pode usar frango, carne, presunto e queijo ou até mesmo outro tipo de peixe. Sirva com arroz branco e uma salada de folhas. Bom apetite e Feliz Páscoa!



segunda-feira, 28 de março de 2011

VOCÊ SABE O QUE É NOUVELLE CUISINE ??



A cuisine nouvelle, ou nouvelle cuisine, foi criada nos anos 70 como uma reação à culinária tradicional. Esse tipo de cozinha é caracterizado por tempo de preparo menor, molhos mais leves e porções menores, apresentadas de forma refinada e decorativa. O movimento Nouvelle Cuisine começou efetivamente no ano de 1972, por dois críticos gastronômicos, Henri Gault e Christian Milau, com o propósito de incentivar uma apresentação mais natural e simples da comida. Este movimento foi formado através de uma campanha publicitária com novas receitas e uma nova ética, apesar da idéia em si não ser nova. Defensores da nouvelle cuisine, rejeitam o excesso de riqueza, complicações e pratos indigestos que eles consideram não serem mais apropriados para uma geração consciente dos cuidados com a saúde com relação ao comer em excesso, principalmente comidas gordurosas. Levando isto em conta – e o aumento do consumo de comidas industrializadas – eles expuseram a autenticidade e a simplicidade de cozinhar. Os nouveaux cuisiniers defenderam um conceito – seus teoristas até falaram de uma visão mundial – que combinava as profissões de medicina e dietética. Suas principais linhas a serem seguidas eram:

* absoluto frescor dos ingredientes,

* luminosidade e harmonia natural nos acompanhamentos,

* simplicidade no modo de cozinhar.

Isso significa menos gordura, nenhuma ligação com farinha, sem misturas indigestas e sem pratos “mascarados”. Ao invés disso, eles inventaram molhos leves, baseados em sucos de carne, gado, essências e temperos, vegetais preparados, e então seus sabores naturais foram retidos; e uma cozinha rápida, sem gordura, permitindo à comida reter alguma da sua própria textura. Tem ligação com cozinha seca, no forno ou na grelha, cozinhar por fervura lenta, cozinhar em banho-maria ou papillote (invólucro de papel usado para assar principalmente carnes. Preserva os aromas e sucos do alimento - termo francês). Todavia, na prática, nouvelle cuisine em seu auge foi caracterizada por pequenas porções, arrumada em grandes pratos elegantemente apresentados com molhos e mínimos acompanhamentos. Os vegetais crocantes brilharam em suas cores naturais e formas decorativas, carnes cortadas em finas fatias, mousses aerados acompanhados de um peixe rosa e firme; enquanto purês de vegetais se transformam na estrela do repertório culinário.


Os dez mandamentos da "nouvelle cuisine" (1973)

por Henri Gault e Christian Millau


01- Não cozerás demais

02- Utilizarás produtos frescos e de boa qualidade

03- Tornarás leve teu cardápio

04- Não serás sistematicamente modernista

05- Buscarás, entretanto o que te proporcionam as novas técnicas

06- Evitarás vinhas-d’alho, fermentações, etc

07- Eliminarás molhos com manteiga

08- Não ignorarás a dietética

09- Não usarás truques para melhorar tuas apresentações

10- Serás inventivo (criativo)



TRADIÇÃO DO BACALHAU NO MÊS DA MULHER E UMA DELICIOSA SUGESTÃO PARA A SEMANA SANTA



Uma receita fácil e prática para degustar com toda a familia


Estamos no mês em que se comemora o dia internacional da mulher e eu não poderia deixar de prestar minha homenagem da forma mais saborosa que é em apresentar uma receita especial para celebrar a data com muita alegria. Hoje a mulher atual, além de trabalhar, estudar, cuidar da casa, dos filhos e do marido, ainda tem que arrumar tempo para cozinhar, cuidar da saúde, da beleza e manter-se atualizada sobre tudo que acontece no mundo. As mulheres conquistaram um papel relevante na sociedade. Elas acumulam tarefas, defendem seus ideais, opinam, tomam decisões e não deixam a feminilidade de lado. Por tudo isso, a mulher contemporânea precisa ser prática. Nada de tempo desperdiçado, e na cozinha também não é diferente. Para facilitar a vida dessas verdadeiras guerreiras, nada melhor do que uma receita saborosa, de fácil preparo e que não vai pesar muito no bolso. Vale lembrar que a semana santa está se aproximando, e uma dica legal é preparar esta tradicional receita de Bacalhau à Gomes de Sá como uma ótima opção para seu almoço de domingo de páscoa com a família. Existem diversas maneiras de se preparar um bacalhau. É um alimento completo, saudável, que proporciona uma degustação muito saborosa e inesquecível, mas para um preparo perfeito é preciso alguns cuidados com essa carne tão especial. Confira as dicas:


• Não congele o bacalhau salgado e seco, pois isto lhe confere cor avermelhada e altera seu sabor original.

• Para hidratá-lo e dessalgá-lo, proceda assim: coloque a posta do bacalhau em uma vasilha com bastante água na geladeira (ele ficará tenro e não irá exalar nenhum cheiro).

• O tempo mínimo de dessalgue do bacalhau em postas é de 24 horas; postas muito grossas exigem até 48 horas. Já o bacalhau desfiado pode ser dessalgado em 6 horas. • Quanto mais vezes a água for trocada, mais rápido ele será dessalgado.

• Se o bacalhau ficar salgado demais, cubra-o com leite fervente e deixe por 30 minutos. Se necessário, repita o procedimento.

• O melhor momento para retirar a pele do bacalhau é quando ele ainda está salgado e seco. O bacalhau não deve ser fervido, pois prejudica o paladar e resseca o peixe. Cozinhe-o em fogo brando, sem deixar a água borbulhar.

• Se quiser apurar o paladar do bacalhau, de acordo com a receita, deixe-o temperado no azeite ou submerso no leite durante pelo menos 2 horas antes do preparo.


RECEITA DA SEMANA: Bacalhau à Gomes de Sá


Ingredientes:


1 quilo de bacalhau

500 g de batata

300 ml de azeite

4 dentes de alho

4 tomates em rodelas

4 cebolas em rodelas

4 ovos cozidos

150 g de azeitona preta sem caroço

sal e pimenta-do-reino a gosto

salsinha picada para decorar

Modo de preparo:

Deixe o bacalhau de molho por 24 horas trocando a água várias vezes para perder o sal (o bacalhau com a água tem que estar na geladeira). Afervente rapidamente e desfie o bacalhau em lascas. Coloque o bacalhau numa travessa refratária untada com azeite e cubra com a cebola, os tomates e o alho picadinhos. Espalhe a batata cortada em rodelas finas e polvilhe com sal (se precisar), pimenta e salsinha. Regue com o azeite. Adicione as azeitonas e leve ao forno por mais ou menos 30 minutos. Decore com fatias de ovos cozidos.

Rendimento: 4 a 6 porções.


Dica de Chef: Para a refeição ficar mais saborosa procure utilizar produtos com qualidade como, por exemplo, um bom azeite de oliva. Não jogue fora a água que você aferventou o bacalhau, utilize essa água para pré-cozinhar as batatas; preparar um arroz de acompanhamento ou fazer um pirão. Você pode ganhar tempo na cozinha comprando o bacalhau já dessalgado e desfiado. Sirva esse prato com arroz branco e um bom vinho.


CURIOSIDADE SOBRE A RECEITA:

Alguns pratos tradicionais da culinária recebem o nome de seus criadores. Este é o caso do bacalhau à Gomes de Sá, tradicional receita portuguesa deste peixe, de autoria de José Luiz Gomes de Sá Júnior, falecido em 1926, e na época cozinheiro do Restaurante Lisbonense, lugar em que criou a receita. Sua receita tradicional propõe que o bacalhau seja cortado em pequenas lascas marinadas no leite por mais de uma hora. Assado no forno, com azeite, alho, cebola, acompanhando azeitonas pretas, salsa e ovos cozidos. Este é um prato típico da região centro de Portugal. É de preparação simples e relativamente rápida.